Notícias

Espermatozoide alterado responde por 30% dos casos de infertilidade

06/12/2016 - 13:20

homem sombra
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone

Nem sempre a dificuldade para engravidar é ocasionada por problema nas mulheres; check-up da fertilidade masculina pode identificar por meio de Citometria de Fluxo a quantidade de células reprodutivas com o DNA fragmentado

Um aspecto importante e muitas vezes deixado de lado é a fertilidade masculina. Por meio de um check-up, o homem pode detectar com antecedência problemas como o espermatozoide com DNA fragmentado, responsável por 30% dos casos de infertilidade sem causa aparente entre os casais, e tratar com chance de reversão de 100%.

O check-up da fertilidade do homem inclui Espermograma completo, perfil microbiológico do esperma e o TECE (Teste da Estrutura da Cromatina do Espermática), por Citometria de Fluxo, único que identifica com precisão a fragmentação do DNA. “Como o Espermograma varia muito, o TECE é imprescindível para o diagnóstico, pois é extremamente confiável”, afirma o imunologista especializado em reprodução humana Dr. Ricardo de Oliveira, diretor médico e fundador do RDO Diagnósticos, pioneiro neste exame no Brasil.

A indicação do TECE

A indicação do TECE é para os casos de infertilidade sem causa aparente, homens com mais de 50 anos ou expostos a agentes tóxicos. “Se você tem a fragmentação do DNA em 30% dos casos de infertilidade, não é para brincar. O grande problema é que, muitas vezes, só se olha a mulher”, explica o Dr. Ricardo. Caso não seja tratado, o espermatozoide com DNA fragmentado pode impedir a implantação embrionária ou provocar aborto.

A causa do problema é associada a vários fatores, como uso de drogas ilícitas (principalmente a cocaína), consumo excessivo de bebidas alcoólicas, tabagismo, algumas medicações, quimioterápicos e radioterapias, altas temperatura na região dos testículos (laptop no colo), febre alta, processos inflamatórios, traumas locais e a varicocele (varizes testiculares), além da idade avançada.

Com exceção da idade, a ação de muitos desses fatores pode ser transitória, havendo uma melhora da fragmentação do DNA com o decorrer do tempo e após o tratamento com drogas antioxidantes, como vitaminas C e E, ácido fólico e zinco, durante três meses. Caso não se consiga reverter com esse tratamento, pode ser usado o espermatozoide direto do testículo, sem o contato com o oxigênio, agente causal da fragmentação.

O exame

Os resultados do TECE são mais estáveis que as avaliações padrões do esperma (número, mobilidade e morfologia). Para fazer a coleta, é necessário que o homem fique dois dias sem ejacular, mas também não pode passar de três dias, por causa do processo de envelhecimento do espermatozoide.

Em seguida, a amostra de sêmen é misturada a um corante laranja, que se liga ao DNA. Ao passar pelo Citometro de Fluxo, é possível quantificar a porcentagem de espermatozoides alaranjados. O ideal é que tenha no máximo 15% do DNA fragmentados. Até 25% é aceitável. Acima disso, não é considerado bom para fertilizar.

 

Foto:

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone